Memórias felizes

É fácil cair na tentação de cobiçar os tempos de antigamente (“aquele” antigamente que guardámos numa caixinha bem escondida nas nossas memórias) mas, na prática, as coisas são hoje iguais ao antigamente; tomam a mesma forma mas com coisas diferentes. Neste último fim de semana fui buscar uma memória (bem antiga, e muito bem guardada) que me deixou um feliz sentimento nostálgico.

Quando era pequeno (quando ainda não tinha noção das horas mas já sabia o que era um fim de semana) havia lá em casa o hábito de, no Domingo, cozinhar o apetitoso frango assado. Quando fui buscar essa memória (por puro acaso, pois estava apenas a decidir o almoço do dia seguinte) até o cheiro das brasas trazia agarrado! Era praticamente uma celebração, um ritual, que faziamos em família.

Hoje, o frango assado chama-se McDonalds.

Essa é a memória que os nossos filhos vão levar com eles, para mais tarde dizerem aos filhos deles (com, espero eu, uma valente sobredosagem de nostalgia, tal como me aconteceu este fim de semana) como era bom o dia da semana em que iam ao fast-food.

Anúncios